Categorias de empresas:
Pesquisar empresas:
Pesquise acima por categoria ou empresa e faça sua denúncia.
17 de fevereiro de 2011, às 04h49min
Respondida
Natal - RN

CONSTRANGIMENTO - AO SAIR DO SUPERMECADO O ALARME DISPARA 17/02/2011

No último dia 12 de fevereiro, como de costume, recorri ao EXTRA de Ponta Negra/Natal-RN para compras emergenciais. Desta vez, para comprar algumas roupas para meu filho, que mora em outra cidade e esqueceu sua mochila em casa. Depois de pagar as minhas contas, ensacá-las, peguei meu carrinho e me dirigi ao estacionamento. Para a minha surpresa ouvi um ‘bipe’ estridente e uma luz piscando ao passar pela porta que leva ao estacionamento externo. Por alguns segundos fiquei sem saber o que fazer, ou se era conosco. Descobri que um dos alarmes não havia sido retirado. Naquele instante, e sob o olhar do clientes que passavam comecei a tremer, temendo uma abordagem da equipe de segurança. A angústia aumentava pois ninguém apareceu de imediato, e eu fiquei sem saber o que fazer, se voltava, ou se ia embora. Naquele instante me senti o centro das atenções, foi uma mistura de humilhação, angústia, incômodo e impotência. Depois veio a revolta. Por fim um senhor me aborda e me pergunta se eu queria que o alarme fosse retirado, e tenta se desculpar. Pergunto que providências a loja iria tomar, mas recebo uma negativa enfática: Nós não podemos fazer nada. E o constrangimento a que fui submetido com a minha família? Duas senhoras ficaram tão indignadas que imediatamente se ofereceram para serem minhas testemunhas, aliás, como muitas outras pessoas. O EXTRA sequer se preocupou em pegar meus dados para uma retratação mais adequada. Estou errado? Empresas grandes como o EXTRA podem submeter o cliente a tal absurdo e ficar por isso mesmo? Qual o pensamento das pessoas que passam no local onde um fato desses está ocorrendo? Além de tudo, ainda tive que lidar com as piadinhas dos funcionários, e os sorrisos de canto de boca. Fiquei propositalmente no local até ligar para a Polícia 190, e para um advogado. Mesmo assim ninguém se preocupou em “equilibrar“ aquela situação. O EXTRA deveria se envergonhar. Errar é humano, mas nada fazer é um absurdo sem tamanho. O fato de que eu não fui “revistado”, ou “abordado” por um segurança parece servir de “desculpa” para a inércia do EXTRA, para a falta de ação, e para a falta de humanidade desta empresa. O que eu deveria ter feito? Nos primeiros instantes fiquei atônito, quase paralisado de vergonha e medo. Na minha cabeça um turbilhão de coisas, se fosse poderiam achar que eu estava fugindo, se ficasse, a qualquer momento um segurança poderia aparecer. Foi, certamente, uma das maiores vergonhas que passei na vida. Meu filho ao entrar no carro chorava copiosamente, minha esposa idem. Passei mal, e ainda tive que me contentar com a dificuldade em se conseguir apoio das autoridades. Segundo a PM, eu teria que me dirigir ao Plantão Metropolitano, em um bairro do outro lado da cidade. Fui para a minha casa, aferi minha pressão (sou hiper tenso), tomei uma dose extra de meus remédios, e após horas consegui dormir. Cheguei a ter pesadelos com o ocorrido. NUNCA MAIS ENTRO NAQUELA LOJA, NUNCA MAIS COMPRO NO EXTRA! E VOU USAR TUDO O QUE ESTIVER AO MEU ALCANCE PARA TIRAR DAQUELE HIPERMECADO, TANTOS QUANTOS CLIENTES EU POSSA. AMIGOS, FAMILIARES, CLIENTES, CONHECIDOS, ENFIM. VOU FAZER USO DO ORKUT, TWITTER, FACEBOOK, MSN, E-MAILS, E DE TODOS OS MEIOS DISPONIVEIS PARA RELATAR O OCORRIDO AO MÁXIMO DE PESSOAS POSSÍVEIS, AQUI, E FORA DO ESTADO ONDE RESIDO. ISSO FOI HUMILHANTE, MAS O PIOR FOI A FALTA DE AÇÃO POR PARTE DA EQUIPE DO EXTRA. TENHO DE “LEMBRANÇA” A CAMISA, AINDA NA EMBALAGEM, COM O “PINO” QUE ACIONA O ALARME. FILMEI E FOTOGRAFEI O OCORRIDO. João Bôsco Lima Júnior E-mail: joaoboscolimajunior@hotmail.com 0xx84 88665397 0xx81 86169481
Resposta da Empresa:
06 de julho de 2011, às 18h05min
Primeiramente, agradecemos pela oportunidade de esclarecimentos sobre a manifestação registrada neste canal.

Nesse sentido, informamos que a manifestação do Sr João Bôsco Lima Júnior, foi tratada através do protocolo 4840559.

Pedimos desculpas por eventuais falhas que possam ter ocorrido nesta relação de consumo entre o cliente e o Grupo Pão de Açúcar e aproveitamos para reforçar nosso compromisso de garantir a melhor experiência de compras à todos os nossos clientes em cada uma de nossas lojas.

Atenciosamente,

Luciana Wanderley
Grupo Pão de Açúcar

Você está encerrando esta denúncia.

Qual nota de satisfação você daria para esta empresa? Você foi bem atendido?

Dê a sua nota:

Você voltaria a contratar esta empresa?

  • Não
  • Sim
Encerrar esta denúncia

Receba novidades por e-mail:

FIQUE SEMPRE INFORMADO!